O que é Carcinoma grau 1? Tudo sobre este laudo

Saiba o que é carcinoma grau 1 e como é categorizada a agressividade do câncer de acordo com a velocidade de evolução da doença.

Um diagnóstico de câncer levanta muitas dúvidas referentes ao tipo, agressividade e chances do tratamento da doença. Pensando nisso, esse conteúdo abordará o que é carcinoma grau 1 e dará informações sobre a composição desse laudo médico.

Entender o que é a doença e quais as características informadas no laudo médico são etapas importantes para iniciar um tratamento adequado. Saiba mais a seguir!

O que é carcinoma grau 1?

Na oncologia o carcinoma pode ser descrito como um “tumor maligno epitelial ou glandular, que tende a invadir tecidos circundantes, originando metástases”. A metástase é a fase avançada do câncer, na qual outros órgãos e tecidos podem ser afetados pelas células cancerígenas.

No entanto, para entender o que é carcinoma grau 1 deve-se compreender, além do que é a condição em si, como ela é dividida.

O grau é o aspecto que diferencia as células cancerosas das normais. Essa avaliação é realizada por meio da comparação entre as células.  Deve-se ter em mente que grau é diferente de estágio, outro tipo de categorização do câncer.

A partir da comparação realizada entre as células pode-se dividir o carcinoma em três graus distintos:

  • grau 1, também chamado de baixo grau ou bem diferenciado, é quando as células cancerosas são um pouco diferentes das normais, o que faz com que o câncer seja de progressão lenta;
  • grau 2, conhecido como intermediário/grau moderado ou moderadamente diferenciado, é quando as células cancerígenas já não se parecem com as normais e o desenvolvimento delas é mais rápido;
  • grau 3, chamado de alto grau ou pouco diferenciado, ocorre quando as células cancerosas são muito diferentes das normais e possuem uma progressão mais acelerada.

O grau do carcinoma também é conhecido por determinar a agressividade da condição, visto que com o grau maior, mais rápida é a velocidade de crescimento do tumor.

Após entender o que é carcinoma grau 1 é importante saber que nem todas as condições usam essa escala. Ela é utilizada, por exemplo, no caso do câncer de mama. Já em tumores cerebrais usa-se uma escala de 1 a 4 e no câncer de próstata a escala Gleason, que vai de 6 a 10.

representação de carcinoma células

Como identificar o grau do carcinoma e qual a importância dele?

Para que o médico possa realizar a comparação entre as células cancerosas e as normais é preciso que ele tenha uma amostra desses tecidos, o que faz com que o exame de biópsia seja um dos mais importantes no carcinoma.

Ele consiste na retirada de um pequeno pedaço do tumor visando uma análise laboratorial. O processo de retirada depende do tipo de câncer, por exemplo, na mama é usada uma agulha, já no estômago é usado o aparelho de endoscopia.

É fundamental que o médico responsável pela análise clínica seja experiente, pois ele vai observar os fragmentos no microscópio e determinar a aparência do tecido. Esse processo influencia o diagnóstico, tipo de doença, características e grau, que é a velocidade que o tumor cresceria sem nenhum tipo de intervenção.

O grau de agressividade do tumor é essencial para determinar o melhor tratamento para o caso. Se o grau é mais elevado, maiores são as chances de a doença atingir outros órgãos, exigindo um tratamento mais intensivo.

No caso de câncer de mama com crescimento lento, por exemplo, em geral são usados tratamentos hormonais, enquanto nas condições com grau mais elevado opta-se pela quimioterapia.

Portanto, a definição do tipo de tumor e grau dele é fundamental para direcionar o paciente para um tratamento mais adequado, evitando tanto que a conduta prescrita seja insuficiente, como também que o paciente passe por processos mais agressivos sem necessidade.

médicos olhando o resultado de exame de raio-x

Quais os componentes do laudo de carcinoma?

O laudo do carcinoma grau 1 deve contemplar essas diferentes informações, sendo mais completo para o paciente e permitindo que ele entenda as particularidades da condição. Em geral, o laudo deve conter os seguintes dados:

  • informações pessoais: verifique se os dados como nome, documentos e data da operação estão corretos, garantindo que o laudo médico seja mesmo seu;
  • amostra: seção que descreve a região de onde as amostras de tecido foram retiradas, pode ser uma ou mais dependendo da condição;
  • histórico médico: em geral, o laudo inclui uma breve descrição do paciente e sobre como a patologia foi identificada inicialmente. Descreve-se ainda o tipo de cirurgia feita;
  • diagnóstico clínico: consiste no diagnóstico que foi dado antes da realização da biópsia;
  • descrição macroscópica: parte na qual é realizada uma descrição da amostra, com informações como tamanho, peso e coloração;
  • descrição microscópica: seção na qual é realizada a descrição da aparência das células cancerosas no microscópio e a relação dela com o tecido normal ao redor e o tamanho do câncer;
  • exames ou marcadores especiais: dispõe de informações complementares, como exames de proteínas, genes e a velocidade de crescimento das células.
  • resumo ou diagnóstico final: faz um descrição das seções anteriores reafirmando as descobertas mais importantes da patologia a partir da amostra.

A partir dessas informações o médico terá informações suficientes para dar um diagnóstico mais completo e exato sobre a condição, assim como prescrever o tratamento mais adequado considerado o tipo de câncer, o tamanho do tumor e o grau de agressividade da patologia.

Leia também – Tudo o que você precisa saber para contratar uma empresa de laudos a distância

Portanto, além de conhecer o que é carcinoma grau 1, é importante saber quais as informações presentes no laudo e as variações do exame para um diagnóstico mais confiável e que ofereça melhores chances de tratamento ao paciente.

Matérias Relacionadas

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos