Vitamina D: Confira 07 dicas para evitar a osteoporose

Ingerir alimentos ricos em cálcio, garantir níveis suficientes de vitamina D e praticar atividades físicas são os principais cuidados para prevenir a osteoporose

A osteoporose é uma condição metabólica que leva à perda acelerada da massa óssea associada ao envelhecimento, aumentando o risco de fraturas em idosos. Essa é uma doença silenciosa, e o exame de escolha para o diagnóstico é a densitometria óssea.

Embora não tenha cura, a osteoporose pode ser prevenida com algumas medidas:

Garantir a ingestão diária de cálcio recomendada

Junto com a deficiência de vitamina D e o sedentarismo, a deficiência de cálcio está entre as principais causas da osteoporose, pois esse mineral é essencial para a formação dos ossos (que costuma acontecer até os 20 anos) e para a sua manutenção subsequente.

A partir dos 35 anos, porém, o esqueleto começa a perder cálcio, ficando menos resistente com o passar do tempo. Por isso, é essencial suprir as necessidades desse mineral em todas as fases da vida.

A dose diária de cálcio ideal varia entre 1.000 e 1.200 mg, o que corresponde a um copo de leite, um pote de iogurte e uma fatia de queijo. Além disso, esse mineral pode ser encontrado em alimentos como brócolis, espinafre e cereais.

copo de leite vitamina d

Manter os níveis de vitamina D em dia

A vitamina D facilita a absorção do cálcio pelo organismo, por isso ela é essencial na prevenção da osteoporose. Como não existem muitos alimentos ricos nessa vitamina, a melhor forma de garantir níveis saudáveis é pela exposição diária ao sol, que ativa sua produção na pele.

Para isso, recomenda-se tomar sol diariamente sem protetor por 15 minutos, preferencialmente pela manhã ou no fim da tarde para evitar o risco de queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele.

Praticar exercícios físicos

O combate ao sedentarismo também é importantíssimo para prevenir a osteoporose, pois os exercícios físicos estimulam a formação do esqueleto e a recomposição da massa óssea perdida.

Atividades de alto impacto são benéficas para o fortalecimento dos ossos em jovens. Contudo, para idosos e pessoas com osteoporose, o ideal é que os exercícios combinem a musculação com atividades aeróbicas de baixo impacto, como caminhada ou dança.

Além disso, as atividades físicas desenvolvem a coordenação, o equilíbrio e a força, elementos essenciais para evitar as quedas que podem levar a fraturas.

Evitar o álcool e o cigarro

As bebidas alcoólicas aumentam as taxas do paratormônio, que estimula a saída de cálcio dos ossos para o meio extracelular, além de reduzir a absorção de cálcio e vitamina D pelo pâncreas.

O cigarro, por sua vez, tem componentes capazes de prejudicar as células osteoblásticas, responsáveis pela formação e manutenção da matriz óssea. Dessa forma, o tabagismo se apresenta como um fator de risco para a osteoporose.

Redobrar a atenção depois da menopausa

A osteoporose não é uma doença exclusivamente feminina, mas ela é mais frequente nas mulheres depois da menopausa. Isso acontece porque, nessa fase, há uma grande queda na taxa de estrogênio, o hormônio feminino que funciona como agente de proteção dos ossos.

Em consequência a essa diminuição do estrogênio, a descalcificação dos ossos passa a acontecer de forma mais intensa e mais rápida, deixando-os mais frágeis e sujeitos a fraturas. Por isso, as mulheres precisam dar mais atenção a esse problema a partir dos 50 anos.

Inclusive, sabe-se que quem tem risco maior de desenvolver essa doença são as mulheres brancas de biótipo miúdo (magras e pequenas) que tiveram menopausa precoce e não se submeteram à reposição hormonal.

Seguir as medidas de prevenção por toda a vida

Embora homens e mulheres devam reforçar os cuidados contra a osteoporose quando chegam à maturidade, a prevenção deve ser feita durante toda a vida – pois a melhor forma de evitá-la é uma combinação de dieta, exercícios e hábitos saudáveis em longo prazo.

Assim, mesmo que o aporte de cálcio deva ser reforçado para as mulheres na menopausa, a ingestão diária deve ser garantida desde a infância, principalmente por meio do consumo de laticínios.

Crianças e adolescentes devem ser incentivados a brincar e se exercitar ao ar livre, de forma a garantir a formação da vitamina D na pele ao mesmo tempo em que a prática de atividades físicas fortalece os músculos e os ossos.

Estimular bons hábitos de saúde nos pequenos é parte essencial da prevenção não apenas da osteoporose e da osteopenia, mas de diversas outras doenças que podem surgir no futuro.

exercícios na terceira idade vitamina d

Fazer o exame de densitometria óssea quando indicado

A densitometria óssea pode fornecer o diagnóstico da osteopenia, indicando a necessidade de reforçar a prevenção, ou da osteoporose em si, sinalizando que é preciso partir para o tratamento farmacológico para evitar o agravamento do quadro e as fraturas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, para pessoas sem fatores de risco para a osteoporose, a densitometria óssea é indicada para mulher a partir dos 65 anos e homens a partir dos 70.

Contudo, o exame é indicado a partir da menopausa para as mulheres e dos 50 anos para os homens quando existe um fator de risco importante, por exemplo:

  • Menopausa precoce sem reposição hormonal;
  • Tabagismo;
  • Ingestão de mais de três doses de álcool por dia;
  • Histórico familiar de fraturas;
  • Fraturas na idade adulta;
  • Magreza (IMC menor ou igual a 21 kg/m2)
  • Tratamento prolongado com corticóides;
  • Dificuldade para ingerir cálcio;
  • Cirurgia no estômago;
  • Doenças intestinais.

Não deixe de ver – Doenças infecciosas: Como a tecnologia está ajudando na profilaxia.

A densitometria óssea e os laudos a distância

A densitometria de massa óssea é o exame de referência para o diagnóstico da osteoporose. Essa é uma técnica não invasiva que utiliza o método DEXA, sigla em inglês para “absorciometria por raios X com dupla energia”.

Com o aumento da expectativa de vida da população, os centros de saúde observam também um aumento na demanda por esse exame. Uma boa forma de estar preparado para atender a essa necessidade é recorrer aos laudos a distância.

Empresas como a DiagRad contam com equipes de radiologistas especializados que trabalham 24 horas por dia para emitir laudos a distância online altamente confiáveis não apenas de densitometria óssea, mas de diversos outros exames de imagem. 

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos