Glioma de Tronco Encefálico: entenda este caso clínico

Entenda o caso clínico de glioma de tronco encefálico realizado pela DiagRad com o auxílio da Telerradiologia

Os gliomas de tronco encefálico representam cerca de 40% dos tumores intracranianos. Esses tumores são formados a partir de células da glia, responsáveis por manter as células nervosas no lugar e trazer comida e oxigênio para elas. Vale lembrar, que os tumores cerebrais são o terceiro tipo de câncer mais comum entre as crianças.

O seguinte caso clínico, diagnosticado pela DiagRad, teve laudo obtido por meio da telerradiologia, metodologia que consiste no envio das imagens obtidas por meio de um exame, via internet, para uma central de telerradiologia.

Lá os dados são apurados com maior precisão, pois são realizados sempre por especialistas em suas respectivas áreas. Essa avaliação foi feita em uma criança de 10 anos, com cefaleia progressiva.

raio-x-glicoma-tronco-encefalico

 

Análise das imagens do caso clínico de cefaleia progressiva em criança de 10 anos

O teor das imagens obtidas no caso clínico analisado pela DiagRad apresentou os seguintes aspectos que merecem destaque:

  • Lesão expansiva pontina, de aspecto infiltrativo, que apresenta hipersinal em T2 e FLAIR e hipossinal em T1;
  • Promove efeito expansivo, com componente exofítico abaulando o contorno anterior da ponte, obliterando a cisterna pré-pontina e dos ângulos pontocerebelares, envolvendo circunferencialmente a artéria basilar, que permanece com calibre e flow-void preservados.
  • Após a injeção do meio de contraste, não se caracterizam realces anômalos;
  • Esta lesão não demostrava restrição à difusão.


Diagnóstico obtido com uso da telerradiologia

Após a realização do exame, foi percebido um tumor glial de linhagem astrocítica. Os tipos histológicos costumam ser de baixo grau, seja um astrocitoma pilocítico (grau I OMS) ou astrocitoma fibrilar (grau II OMS podendo degenerar para gliomas de alto grau).

Essa característica acomete mais comumente crianças, com idade média de 7 anos, sem predomínio por sexo. O aspecto de imagem está relacionado com a localização e a linhagem celular.

O caso clínico de glioma de tronco encefálico em questão tratava-se de um Astrocitoma Fibrilar

 

diagnostico-glicoma-encefalico

 

Glioma no Teto Mesencefálico

Foi diagnosticado ainda um Astrocitoma Pilocítico, lesão focal no teto, que pode apresentar realce variável e calcificações. Mesmo as pequenas lesões rapidamente obliteram o aqueduto central, levando a hidrocefalia.

O prognóstico é bom, com crescimento indolente, muitas vezes necessitando apenas de derivação ventricular. Há sobrevida média de 80% em cinco anos, raramente havendo progressão tumoral.

 

Glioma de Tegmento Mesencefálico

Quanto ao Glioma de Tegmento Mesencefálico, foi diagnosticado um Astrocitoma Pilocítico, lesão focal com aspecto sólido-cístico que pode se estender superiormente para os tálamos ou inferiormente para a ponte. A porção sólida comumente apresenta realce. O tratamento indicado é com cirurgia + QT / RT, com expectativa de bons resultados.

 

Glioma Pontino Difuso

Por fim, foi diagnosticado um Astrocitoma Fibrilar, de aspecto difuso e infiltrativo. A massa pontina, geralmente sem quebra de barreira hematoencefálica que pode se apresentar de aspecto exofítico, envolve a artéria basilar. Em crianças, a evolução costuma ser mais agressiva, com sobrevida menor de um ano, apesar do tratamento com radioterapia ou quimioterapia.

Em adultos, a evolução é melhor, com sobrevida média de 7 anos. Apesar dos astrocitomas fibrilares serem tumores de baixo grau (grau II OMS) é mais comum haver progressão para tumores de alto grau (III e IV OMS), sendo nestes casos observadas áreas de necrose e quebra da barreira hematoencefálica, bem como aumento da densidade capilar nas imagens de perfusão cerebral.

 

Telerradiologia como diferencial de diagnóstico

O caso clínico descrito acima não se enquadra em uma forma que possa ser considerada “simples”. Há muitas particularidades envolvidas nesse processo que, muitas vezes, poderiam até mesmo passar despercebidas por olhares menos atentos.

Saiba mais sobre o caso clínico de glioma de tronco encefálico realizado pela DiagRad!

glicoma-encefalico-raio-x

 

Entretanto, por conta das características da metodologia adotada pela telerradiologia, há maiores chances de êxito em diagnósticos como esse.Uma das principais características dessa metodologia é o fato de que apenas profissionais especialistas em uma determinada subárea é que ficam encarregados de analisar os exames. Dessa forma, profissionais especializados em exames de cabeça, por exemplo, não vão trabalhar com imagens de tórax ou abdome.

Assim, quando têm acesso às imagens obtidas no exame, há maior chance de assertividade nos resultados, fazendo com que os índices de necessidade de refação caiam de forma substancial. Mais ainda, as probabilidades de se ter resultados mais detalhados e com um teor mais completo aumentam, dado alto grau de afinidade com o tema.

Some a isso o fato de que laudos a distância como esse, podem ser disponibilizados online em até 24 horas, de acordo com a necessidade de urgência de cada caso. Essa agilidade no processo faz com que existam maiores chances de que o tratamento posterior tenha melhores resultados, uma vez que os procedimentos poderão começar mais cedo do que o habitual.

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos