UPAS de Maceió agora em programa LATIN de Telemedicina

Com a implantação deste programa nestas 2 unidades da UPA em Maceió, os pacientes que apresentarem dor torácica serão submetidos de imediatos a ECGs (Eletrocardiograma), que serão enviados para um centro de diagnóstico especializado e, sendo detectado a existência de um infarto agudo do miocárdio (iam), será transferido para realização de de uma intervenção coronária percutânea (ICP) primária. Com isso será possível a garantia de atendimento prioritário no hospital de referência. Através do LATIN é possível a diminuição do tempo entre o primeiro atendimento e início do tratamento de pessoas em situação de emergência.

O projeto Latin America Telemedicine Infarct Network, visa promover o intercâmbio de informações médicas e agilizar o atendimento dos pacientes infartados em Maceió, uma parceria do Hospital Geral do Estado com a Fundação Cordial e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU). O programa consiste na utilização de dispositivos de telemedicina, onde serão conectadas rapidamente unidades de tratamento básico e ambulâncias a uma rede de centros de treinamento para melhorar o acesso e diminuindo o tempo no tratamento do infarto agudo do miocárdio (IAM).

Atualmente, cerca de trezentos mil brasileiros morrem devido a doenças cardiovasculares e a grande maioria deste pacientes não tiveram tempo de um diagnóstico, muito menos possibilidade de um tratamento. O objetivo do uso da telemedicina neste casos em especial, é diagnosticar, transportar, em tempo hábil, e tratar o paciente. Se o ciclo for completado, dentro do tempo técnico, que seria menos de doze horas da descoberta do problema, o paciente pode ter alta em até três dias. Sandra Gico, diretora técnica da UPAs de Maceió destaca que já foram realizados cerca de dois mil quinhentos exames e encaminhamos 23 pacientes com diagnóstico sugestivo para a hemodinâmica do HGE, utilizando a telemedicina.

O processo de atendimento será feito da seguinte forma, com o uso da Telemedicina será feito o diagnóstico através do eletrocardiograma do paciente. As informações são enviadas ao Centro de Diagnóstico de forma online. Se o diagnóstico for sugestivo de STEMI (Elevação do segmento ST miocárdio), em menos de cinco minutos o sistema dá o alerta. A partir daí o paciente é removido para o Centro de Referência, no Hospital Geral do Estado.

Com a utilização deste sistema, o índice de mortalidade seria reduzido pela metade. A unidade com experiência mais expressiva do pais é a instalada no Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, São Paulo. Nesta região moram quatro milhões de pessoas e o índice de mortalidade associada à doença era de 11 a 12%. Hoje, um ano após implantação da Telemedicina, o índice caiu para 5,1%.

Alagoas é o único estado do Nordeste a contar com o sistema. A Telemedicina foi instalada no em agosto desse ano nas UPAs da capital alagoana. A UPA do Benedito Bentes já realizou 1.331 eletros e 10 pacientes foram diagnosticados com sintomas sugestivos e encaminhados à Hemodinâmica do HGE. A UPA do Trapiche fez 1.017 exames e encaminhou 13 pacientes com diagnóstico sugestivo de infarto do miocárdio.

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos