Nanorobôs podem auxiliar na medicação de pacientes, entenda tudo sobre

A imagem mostra vetores de robótica e robôs com as palavras medicine nanobots na parte superior

Aplicações de robótica na medicina são usadas em diagnóstico, medicação e cirurgia

O uso da robótica na medicina já é uma realidade com o desenvolvimento de nanorobôs para realizar diferentes etapas do procedimento médico, como diagnóstico ou medicação.

Devido à inovação do tema, as aplicações e estruturas dos nanorobôs ainda estão sendo estudadas pelas principais instituições de pesquisa do mundo. Saiba mais!

O que dizem os estudos sobre robótica na medicina?

Diferentes universidades têm se dedicado a entender os potenciais usos da robótica na medicina e também as aplicações da área.

Na Universidade de Nova York, por exemplo, pesquisadores da área de química criaram nanorobôs a partir de fragmentos de DNA. Eles podem “andar” e tem apenas 10 nanômetros de tamanho.

Chamada de “nanowalker”, a tecnologia visa o uso dos nanorobôs para realizar tratamentos em áreas específicas do corpo de acordo com as necessidades dos pacientes.

Na mesma universidade estão sendo conduzidas pesquisas com auxílio da nanotecnologia com o objetivo de compreender o processo de cristalização das moléculas biológicas.

O estudo visa que os nanorobôs possam ser usados futuramente para imitar processos biológicos, como o comportamento do DNA. A partir disso o objetivo é compreender e desenvolver tratamentos para doenças genéticas.

Já na Harvard Medical School estudos na área viabilizaram a criação de nanorobôs que alteravam o comportamento das células de maneira específica.

Um dos resultados alcançados por meio do estudo foi que células de leucemia e linfoma se auto destruírem devido ao envio das moléculas alteradas.

Outro local que está desenvolvendo pesquisas na área é o Massachusetts Institute of Technology (MIT). Com foco no setor farmacêutico, os estudos indicaram a possibilidade de fármacos serem enviados diretamente para o local do organismo que necessita da ação deles.

Dessa forma, é possível potencializar alguns tratamentos, como o de câncer, evitando que células saudáveis sejam expostas aos fármacos.

Em quais áreas os nanorobôs podem ser usados?

Constata-se assim que diversas pesquisas sobre robótica na medicina estão sendo desenvolvidas e apresentando resultados promissores sobre o uso dos nanorobôs e novas tecnologias na área médica.

Pensando nisso, identificamos a seguir algumas das aplicações da nanotecnologia, tanto para o momento como as tendências futuras.

Profissionais analisando com microscópio

Diagnóstico e teste

Os nanorobôs já estão sendo usados com objetivos diagnósticos, realizando testes e monitoramento em pacientes. Eles podem interagir com micro-organismos, tecidos e células na corrente sanguínea.

Devido esse potencial, as informações que podem ser coletadas a partir da nanotecnologia incluem o registro de sinais vitais como temperatura, pressão arterial, concentração de açúcar no sangue e parâmetros do sistema imunológico.

Por meio dessa análise mais minuciosa e constante, qualquer alteração pode ser notificada e proporcionar um menor tempo de resposta médica.

 

Evite erros nos diagnósticos dos seus pacientes!

Baixe o nosso material gratuito e confira 09 dicas para evitar equívocos na hora de diagnosticar um paciente.

Quero baixar!

 

 

Nano robôs na detecção e tratamento do câncer

A área oncológica está entre as mais beneficiadas pelo uso da robótica na medicina. Atualmente, a tecnologia e ferramentas desenvolvidas já elevam as chances de sucesso no tratamento de câncer.

Uma das aplicações refere-se à medicação dos pacientes. Os nanorobôs são usados para uma entrega mais eficiente dos fármacos dentro do organismo, minimizando os efeitos colaterais da quimioterapia por afetar menos as células saudáveis.

Devido ao uso de biossensores químicos nos nanorobôs eles são capazes de detectar as células tumorais nos estágios iniciais do desenvolvimento do câncer, liberando a medicação do local correto.

Além disso, os nano sensores identificam a intensidade dos sinais da caderina-E, melhorando o direcionamento do tratamento.

Medicação de pacientes

Devido à capacidade dos nanorobôs de identificar sinais vitais relevantes, eles estão sendo usados para monitoramento dos pacientes e redução do tempo de resposta, pois as informações são transmitidas aos médicos para que haja liberação rápida dos fármacos.

No entanto, no longo prazo, o objetivo é que os nanorobôs possam ser usados para liberar automaticamente as doses de medicamento no organismo, conforme haja a necessidade.

Por exemplo, em um paciente diabético, a dose de insulina é liberada no intervalo programado ou conforme sejam identificados picos de glicemia.

Nano robótica em cirurgias

Atualmente, já é possível realizar cirurgias usando nanorobôs para acessarem locais do corpo nos quais os médicos não conseguem trabalhar.

Os nanorobôs cirúrgicos atuam como cirurgiões semi autônomos, sendo configurados ou operados por um cirurgião humano. Eles podem desempenhar várias funções como pesquisa de patógenos, diagnóstico e correção de lesões.

A nanotecnologia pode auxiliar principalmente em procedimentos complexos, como os neurológicos.

A tecnologia mostra-se como uma aliada da medicina. Atualmente, soluções como a telessaúde já está sendo amplamente usadas e difundidas, mas a tendência é que com o aumento das pesquisas na área, novas aplicações sejam desenvolvidas.

A robótica na medicina já é usada em cirurgias à distância e a nanotecnologia mostra-se como uma área promissora.

Matérias Relacionadas

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia