Radiologia a distância: 5 doenças que podem ser diagnosticadas

A tecnologia contribui para emissão mais ágil e qualificada dos laudos envolvendo diferentes tipos de diagnósticos.

A evolução tecnológica tem permitido melhorias em diversos setores, o que inclui a área médica que muito tem se beneficiado para otimizar procedimentos e o tempo de diagnóstico. Nesse cenário, a radiologia a distância ganha destaque.

A telemedicina, que possibilita o uso de recursos tecnológicos para realização de consultas médicas e também exames, permite que clínicas e hospitais reduzam a infraestrutura necessária para realização de procedimentos. Ao mesmo tempo em que viabiliza a melhora dos laudos.

Isso é possível porque nos laudos a distância, uma empresa especializada fica responsável por receber os exames e os direcionam para profissionais experientes de acordo com a subespecialidade da solicitação.

Com isso, garante-se que os laudos serão emitidos por especialistas, o que melhora significativamente a qualidade desses resultados. Conheça a seguir 5 doenças que podem ser diagnosticadas usando essa tecnologia:

1. Osteoporose

A osteoporose é uma doença metabólica e sistêmica que afeta os ossos, principalmente em idosos. Essa condição é causada quando o organismo deixa de formar novo material ósseo ou quando muito material é reabsorvido pelo corpo sem ser reposto.

Conforme aumenta a expectativa de vida da população, a tendência é que haja um salto no número de pessoas diagnosticadas com a patologia. Sendo que as mulheres estão mais propensas a desenvolver a condição.

O principal exame utilizado para o diagnóstico da osteoporose é a densitometria óssea, que permite investigar a densidade de ossos e músculos, identificando quais estão mais finos e já fragilizados e mesmo quando a patologia ainda está no início, começando a perder material.

O diagnóstico precoce da osteoporose é bastante difícil, pois a perda óssea é gradual e pode demorar anos até apresentar algum sintoma, como uma fratura. Dessa forma, a densitometria óssea e radiografias são os exames mais indicados para identificar a condição.

Esses exames podem ser beneficiados pela radiologia a distância, permitindo que um especialista emita o laudo e atente-se a sinais que um profissional mais generalista não perceberia.

radiologia a distância

2. Câncer de mama

A mamografia está entre os principais exames usados para diagnosticar o câncer de mama ou alterações que afetem as células mamárias, que podem ser tumores, nódulos ou calcificações.

O exame é indicado anualmente para mulheres acima dos 40 anos, consistindo em umas das técnicas para diagnóstico precoce da condição. No caso de pacientes que tenham um histórico de câncer de mama na família, o exame deve ser iniciado antes.

Normalmente, a indicação é que a mamografia comece a ser feita 10 anos antes da idade da qual as parentes de primeiro grau tenham desenvolvido a condição, desde que seja acima dos 25 anos, pois antes dessa idade as mamas são mais suscetíveis à radiação.

Devido consistir em um exame preventivo a demanda pela mamografia é bastante elevada, consistindo um benefício significativo que se opte pela radiologia a distância para emissão dos laudos, preservando a qualidade e eficiência.

3. Esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma doença autoimune bastante grave que afeta o cérebro, medula espinhal e nervos ópticos. A condição está relacionada a um processo no qual o sistema imunológico ataca as células saudáveis por não reconhecê-las, provocando lesões.

Nesses casos, o sistema imune ataca a proteção dos nervos, chamada de mielina. Esses danos resultam numa interferência na comunicação entre áreas do sistema nervoso central, como cérebro e medula espinhal.

No longo prazo a doença causa lesões no cérebro, podendo causar atrofia ou redução da massa cerebral, sendo irreversível. O diagnóstico precoce da esclerose múltipla é essencial para garantir redução dos sintomas e retardar os efeitos da patologia.

Para o diagnóstico da condição são considerados normalmente o relato clínico do paciente, com detalhamento dos sintomas apresentados, a ressonância magnética e o exame do líquor.

A ressonância magnética (RM) é utilizada nesse diagnóstico por apresentar imagens bastante detalhadas do cérebro, medula espinhal e outras áreas, permitindo identificar lesões relacionadas com processos inflamatórios e perda da mielina.

4. Tumores e nódulos

A tomografia computadorizada está entre os exames que podem ser beneficiados pela tecnologia de laudos a distância de forma a contribuir para o diagnóstico de uma série de condições ao mesmo tempo em que reduz tempo de entrega dos laudos.

A tomografia pode ser realizada em diferentes partes do corpo como crânio, tórax, coluna, abdômen, sistema cardíaco, pelve e outras, além de poder ser com contraste ou sem, de acordo com a indicação médica.

O exame permite fazer radiografias transversais de forma a gerar imagens com cortes tomográficos que são transmitidas para um computador e permite uma análise das estruturas “em fatias” ou conjuntamente, proporcionando uma melhor visão das estruturas.

Devido esses fatores, o exame é indicado para diagnóstico de tumores e nódulos em diferentes partes do corpo, além de outras indicações como doenças pulmonares, neoplasias cerebrais, fraturas e outras.

5. Fraturas

Outra condição que pode ser diagnosticada usando o recurso de radiologias a distância são as fraturas, condição que normalmente está associada à realização de um exame de raio-x convencional, com contraste ou OIT.

Por se tratar de um exame com uma alta demanda em clínicas e hospitais e que precisa da avaliação de radiologista para emissão de laudo, muitos locais têm dificuldades em disponibilizar esse exame com resultado rápido.

Nesses casos, o laudo a distância ajuda a aumentar a eficiência e diagnóstico, uma vez que o encaminhamento do paciente depende do laudo e que, portanto, a agilidade na obtenção dele influencia diretamente a qualidade do atendimento do paciente com fraturas.

radiologia a distância

Quando optar pela radiologia a distância?

A radiologia a distância pode ser implementada por clínicas e hospitais que querem melhorar a logística hospitalar, otimizando os processos ao mesmo tempo em que obtém mais agilidade e qualidade na emissão dos laudos.

Os laudos podem ser enviados em até 30 minutos em casos emergenciais e 24 horas nos habituais de forma a impactar diretamente no tempo de diagnóstico do paciente e melhor prognóstico da condição.

Ficou com dúvidas? Entre em contato com a DiagRad.

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos