O que é Ressonância magnética e as principais contribuições deste exame para a saúde

Entenda o que é e como o exame de ressonância magnética (RM) se tornou uma das ferramentas mais importantes da medicina para a prevenção das mais diversas doenças

Mesmo que você nunca tenha realizado um exame de Ressonância magnética, certamente você já deve ter ouvido falar dele. Mas você realmente sabe o que é ressonância magnética?

Já há um bom tempo essa se tornou uma alternativa para facilitar a vida dos médicos, que por meio dele têm acesso a um diagnóstico por imagem mais preciso do que os obtidos em outros exames, como o Raio-X. Entretanto, há até bem pouco tempo atrás esse exame era considerado caro e inacessível.

A infraestrutura necessária para a realização dele requer um investimento alto por parte das clínicas e laboratórios, então não é todo mundo que tem condições de bancar esses valores. Contudo, nos últimos cinco anos, diversas metodologias de trabalho contribuíram para reduzir os custos envolvidos nesse exame que cada vez tem ganhado mais importância.

Exame Ressonância Magnética RM

O que é ressonância magnética?

As primeiras pesquisas sobre o que é ressonância magnética começaram na década de 30. Portanto, já faz um bom tempo que essa técnica está por aí sendo aperfeiçoada. Os primeiros resultados, entretanto, vieram na década de 50, quando os pesquisadores Felix Bloch, da Universidade de Stanford, e Edward Purcell, da Universidade de Harvard, ganharam o Prêmio Nobel de Física pelas suas descobertas.

O primeiro exame de ressonância magnética – ou ressonância nuclear magnética, para usar o nome completo – foi realizado em julho de 1977. Na época ele levou cinco horas peara ser concluído e as imagens obtidas tinham uma qualidade muito baixa, bem diferente do que acontece hoje em dia, não é mesmo?

Explicando de uma forma simples, a ressonância magnética utiliza um forte campo magnético e ondas de radiofrequência para produzir imagens detalhadas de órgãos internos e tecidos. Essa técnica é bastante ampla e pode ser usada para praticamente qualquer parte do corpo.

Exames de ressonância magnética mais comuns

Os locais nos quais a ressonância magnética é usada com maior frequência incluem o cérebro, as articulações e os discos da coluna vertebral. Assim, lesões cerebrais, lombares e tumores podem ser facilmente diagnosticados por meio de excelentes imagens dos tecidos moles e dos órgãos vitais.

É também por meio da ressonância magnética do coração que é possível obter avaliação de doenças cardíacas com alta acurácia diagnóstica. Mas também é muito comum e de extrema importância para as mulheres a realização da ressonância das mamas, que possui um protocolo bem estabelecido para execução do exame, a fim de se obter o melhor desempenho diagnóstico.

Uma grande vantagem desse exame em relação aos exames Raio-X, por exemplo, é o fato de que ele não envolve radiação. Dessa forma, diminuem as contraindicações ao exame e aumenta o número de pessoas que pode tirar proveito dessa técnica para conseguir obter diagnósticos mais precisos.

Laudo Ressonância Magnética Crânio

 


Como é feito o exame de ressonância?

Durante o exame, o paciente fica deitado sobre uma mesa específica e pode conversar normalmente com técnicos e médicos por meio de um sistema de comunicação. Essa mesa é colocada dentro da máquina, onde ocorre a imersão do paciente em um campo magnético.

É necessário usar um protetor de ouvido durante a sessão, pois embora o exame seja inofensivo e indolor há muito ruído durante o processo.


Para quem a ressonância magnética é indicada?

Como já mencionamos acima, as ressonâncias magnéticas hoje podem ser utilizadas para o diagnóstico em diversas situações. Detectar rupturas em ligamentos, tumores e infecções nas articulações, hérnias de disco ou derrames em estado inicial estão entre as principais atribuições dadas a esse exame.

Ou seja, em termos preventivos, a ressonância pode ser considerada hoje um dos exames mais eficientes existentes no mercado.

Porque Investir em Telerradiologia

 

O futuro da Ressonância com o uso da telerradiologia

Assim como ocorre com muitos outros exames cujo diagnóstico é feito por imagens, a ressonância magnética também pode se utilizar dos avanços da telemedicina. Esse cenário inclui principalmente a telerradiologia, método em que as imagens obtidas no exame são enviadas via internet para uma central de radiologia, que faz a análise das informações à distância.

Essa técnica tem ajudado significativamente as clínicas a reduzirem os seus custos, ao mesmo tempo em que a qualidade dos laudos a distância produzidos só aumenta.

Some a isso ainda o fato de que os resultados podem ficar prontos em até 24 horas, o que torna esse exame preventivo ainda mais eficiente. Por conta disso, a demanda por ressonâncias magnéticas tem aumentado nos últimos anos.

 

Por que os resultados via telerradiologia são mais precisos?

Essa é uma pergunta que muitas pessoas se fazem e a resposta para ela tem a ver com a metodologia de trabalho empregada na telerradiologia. Primeiramente, é importante salientar que o exame em si não muda absolutamente nada, independentemente do método de laudo que venha a ser utilizado posteriormente.

Porém, quando a central de telerradiologia entra em ação a coisa muda de figura. No caso da DiagRad, os profissionais que recebem os laudos são subdivididos em áreas de especialidade. Assim, um técnico responsável por exames relacionados ao cérebro, por exemplo, fará apenas esse tipo de laudo, enquanto outro ficará responsável por articulações e assim por diante.

Esse alto grau de especialização faz com que as centrais de telerradiologia tenham um perfil de profissionais muitos mais especialistas do que generalistas, como acontece geralmente nas clínicas e hospitais que, por não ter uma demanda tão alta de exames, não têm condições e nem razão para fazer uma divisão de tarefas como essa.

O método, além de garantir resultados de maior qualidade, também garante mais agilidade nos processos, uma vez que devido à grande quantidade de profissionais trabalhando 24 horas por dia, os laudos online são produzidos em série.

Em média, leva menos de um dia para que o laudo técnico seja disponibilizado online para a clínica. Em muitos casos, quanto mais cedo se obtém o diagnóstico, melhores são os prognósticos do tratamento.

Para saber mais sobre os laudos de ressonância magnética a distância para sua clínica ou hospital, entre em contato com a DiagRad e solicite seu orçamento!

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos