Novembro Azul: câncer de próstata mata um homem a cada 40 minutos no Brasil

A campanha Novembro Azul 2016 que se inicia hoje terá como foco a importância do exame de toque e também dos exames de imagem para diagnósticos mais detalhados pois o câncer de próstata é o segundo que mais atinge homens em todo o mundo. 

Sobre o Novembro Azul

Criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, a campanha visa orientar a população masculina sobre o câncer de próstata. A doença figura como o segundo tipo de câncer mais comum entre homens, com mais de 13 mil mortes anuais — uma a cada 40 minutos. Mais de 61 mil novos casos devem ser registrados no país em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer.

A edição deste ano da campanha Novembro Azul vai ampliar sua abordagem — com o mote “De novembro a novembro azul — movimento permanente pela saúde integral do homem”, a ação vai orientar sobre o câncer de próstata e também alertar os homens sobre a importância de cuidar da saúde. Com a campanha já consolidada no Brasil, passar a alertar sobre os cuidados com a saúde integral do homem, mobilizando a população masculina para que se torne protagonista de sua história e responsável por sua própria qualidade de vida, em diferentes fases da vida.

 

Exames para o Diagnóstico do Câncer de Próstata

O diagnóstico do câncer de próstata é baseado no toque retal, no nível do PSA, e no sistema de graduação de Gleason. A partir dessas informações o médico define quais exames de imagem são necessários para finalizar o diagnóstico e definir o tratamento. Homens com exame de toque normal, PSA baixo e graduação de Gleason baixa podem não precisar de exames de imagem, uma vez que a chance da doença ter se disseminado é baixa.

Os exames de imagem mais utilizados são: Ultrassonografia Transretal, Cintilografia Óssea, Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética.

 

A DiagRad realiza laudos a distância de todos estes exames. Fale conosco para Laudos a Distancia.

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos