Microcefalia e Zika vírus: saiba o que é e quais são os sintomas

Em 28 de novembro de 2015, o Ministério da Saúde confirmou a associação entre o zika vírus e a microcefalia. Entenda melhor estes casos clínicos e seus diagnósticos!

De acordo com o boletim epidemiológico emitido pelo Ministério da Saúde em 15 de dezembro de 2015, foram registrados 2.401 casos de microcefalia relacionados a zika vírus e 29 óbitos. Os casos clínicos se concentram no Nordeste mas têm se espalhado para o resto do país. Mas antes de entender as causas e o diagnóstico, é preciso entender a doença.

O que é a microcefalia?

A microcefalia consiste num crescimento da cabeça menor do que o esperado para a faixa etária. Durante o desenvolvimento normal, conforme o cérebro cresce, ele promove o remodelamento do crânio, que acaba aumentando para acomodar as estruturas encefálicas.


Nos casos de microcefalia, observa-se um déficit no crescimento do cérebro, que culmina com um menor crescimento da calota craniana, e consequentemente um perímetro cefálico menor que o esperado. A medição do perímetro cefálico deve ser feita com fita métrica não-extensível, na altura das arcadas supra-orbitárias até a maior proeminência do osso occipital.

Principais causas e diagnóstico da microcefalia

A microcefalia pode ocorrer por causas congênitas ou pós-parto. Dentre elas, citamos as infecções, as substâncias teratogênicas, as doenças genéticas, entre outras. O diagnóstico da microcefalia é clínico e pode ser feito durante o exame físico do recém-nascido com o uso de uma fita métrica. Entretanto, este diagnóstico também pode ser feito antes do parto através da ultrassonografia.

Através dos laudos de Tomografia Computadorizada (TC), Ressonância Magnética (RM) ou Ultrassonografia Transfontanela (US) que podem ser enviados a distância para clínicas e hospitais, podemos avaliar com mais detalhes os achados intracranianos que levaram a microcefalia.

laudo-raio-x-microcefalia-zika-virus

A DiagRad e a microcefalia

A DiagRad é uma empresa de telerradiologia que está localizada em São Paulo, mas presta serviço de laudos à distância para todo o Brasil. Por isso, nossa equipe de neurorradiologistas tem vivenciado essa nova enfermidade que acomete fetos e recém-nascidos.

Todos os casos que recebemos eram provenientes do Nordeste. Embora não tenhamos a confirmação sorológica, a epidemiologia era positiva em todos eles. Entre os aspectos de imagem mais comuns entre os casos que analisamos, podemos destacar os seguintes:

  • Dilatação dos ventrículos laterais e III ventrículo, com afilamento da espessura do parênquima cerebral;
  • Sulcação cortical pobre caracterizando padrão de lisencefalia;
  • Calcificações nos núcleos da base e justacorticais, em maior quantidade na alta convexidade;
  • Estruturas da fossa posterior de aspecto anatômico preservado.

Em relação às demais infecções congênitas do grupo TORCH, destacamos o importante afilamento do parênquima cerebral e as calcificações justacorticais que predominando na alta convexidade.

 

Saiba mais sobre
Laudos a Distância

A DiagRad, empresa de telerradiologia, preparou informações essenciais para quem quer saber mais sobre os laudos a distância e como eles podem colaborar positivamente em diversos aspectos como: aceleração de diagnósticos, rapidez em laudos, saúde e tecnologia. Descubra como esse universo pode ser útil!

Saber mais

 

A telerradiologia como metodologia de diagnóstico a serviço da saúde

Um dos pontos importantes a serem observados em casos como esse são as possibilidades que a telerradiologia oferece para os médicos e pacientes. O primeiro aspecto a ser ressaltado é a qualidade obtida nos laudos, algo que só possível graças a metodologia de trabalho adotada pelas empresas de telerradiologia.

Diferente do que acontece em hospitais e clínicas, quando o profissional responsável pelos laudos é, na maioria das vezes, de perfil mais generalista, na telerradiologia apenas especialistas em um determinado assunto é que ficam responsáveis pela análise das imagens. Dessa forma, assim que o exame é realizado, as imagens são enviadas pela internet para a central de telerradiologia.

Atuando 24 horas, os profissionais responsáveis pela área logo iniciam a análise das imagens e, posteriormente, elaboram os laudos técnicos. Em linhas gerais, os resultados ficam prontos em menos de 24 horas, podendo estar disponíveis pela internet em até mesmo uma hora, caso o solicitante tenha urgência.

 Saiba mais sobre o estudo de caso de Microcefalia e Zika Vírus realizado pela DiagRad! 

raio-x-cabeca-microcefalia-infantil

 

Mais agilidade no tratamento com auxílio da tecnologia

Casos clínicos como esse de microcefalia ganham não apenas em precisão nos laudos, mas também em agilidade na entrega dos resultados. É sabido que em muitas circunstâncias, quanto mais cedo tiver início o tratamento, maiores são as chances de se obter sucesso de cura e o simples fato de poder obter resultados no mesmo dia é um fator motivador para que o processo seja mais célere.

Do ponto de vista dos estabelecimentos de saúde, é preciso ressaltar ainda o fato de que a telerradiologia auxilia na redução de custos de forma considerável. O primeiro aspecto fica por conta da infraestrutura física: dispensa a necessidade de servidores dedicados para armazenamento de imagens, a contratação de softwares de segurança e a licença de aplicativos específicos.

Além disso, reduz a quantidade de profissionais necessários para laudar exames e, com isso, abre caminho para outras duas hipóteses: realocação de técnicos para o atendimento direto ao público, aumentando o número de exames realizados, ou redução do quadro de colaboradores. Em ambos os casos há diminuição de custo.

Independentemente de haver aumento no volume de atendimentos, o custo unitário por exame cai, uma vez que o hospital pagará apenas pelos exames que foram efetivamente laudados. Ou seja, não há a exigência de contratação de um número mínimo de laudos, o que faz com que mesmo períodos de baixa demanda não se tornem um problema nas finanças do estabelecimento.

 

Telemedicina em qualquer parte do país

As vantagens da telemedicina e do atendimento à distância fazem com que não apenas as grandes cidades possam se beneficiar do acesso aos principais especialistas do mercado. Cidades mais distantes dos grandes centros, que invariavelmente têm dificuldade de contratar profissionais especializados, também podem ter acesso direto a médicos amplamente capacitados.

A única exigência técnica, basicamente, é acesso a internet de banda larga, situação que melhorou muito nos últimos anos no país e hoje é uma realidade na maioria das cidades brasileiras. Dessa forma, com custos mais baixos e menor investimento, é possível oferecer aos pacientes uma infraestrutura completa e bastante valiosa.

Quer saber mais como a telerradiologia pode auxiliar a sua clínica ou hospital? Entre em contato com a DiagRad e solicite um orçamento de laudos a distância de acordo com a sua necessidade!

 

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos