Como credenciar sua clínica para realizar ressonância magnética e quais as vantagens

Médicos apertando as mãos em parceria

Parceria com o SUS garante pagamento do preço da ressonância magnética e estabilidade na área radiológica

O preço da ressonância magnética faz com que o exame não seja fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em muitos locais do país, o que justifica a realização de parcerias público-privadas para disponibilizar esse importante exame à população.

Esse tipo de parceria, entretanto, é possível com o credenciamento das clínicas interessadas, desde que elas cumpram as exigências em relação à qualidade do serviço, infraestrutura e entrega dos laudos médicos.

A seguir conheça como credenciar sua clínica para realizar os exames de ressonância magnética e quais as vantagens dessa parceria com o SUS.

Como credenciar a clínica para realizar a ressonância magnética?

O credenciamento da clínica para realização da ressonância magnética depende do cumprimento às normas do edital que, em geral, é realizado por município ou em nível estadual.

A clínica deve separar e enviar os documentos solicitados para parcerias com o SUS que, geralmente, incluem:

  • registro comercial;
  • ato constitutivo;
  • inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ;
  • regularidade para com a Fazenda Pública Federal, Estadual e Municipal;
  • prova de regularidade com o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS;
  • prova de regularidade com a Seguridade Social (INSS);
  • alvará de localização municipal;
  • comprovação de registro no Conselho Regional de Medicina;
  • comprovação de registros dos profissionais de saúde que executarão o serviço contratado;
  • alvará sanitário, fornecido pela Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Conheça o universo que está transformando a Radiologia no Brasil!

Destaca-se que a documentação pode variar de acordo com as exigências locais e particularidades dos serviços prestados, sendo importante a clínica levantar todos os documentos específicos do edital que pretende participar.

Qual o preço da ressonância magnética para clínicas?

Quando a parceria é realizada com a Secretária de Saúde do município ou estado, o preço da ressonância magnética considerado é o valor de referência do SUS, que vale nacionalmente.

Assim, em setembro de 2018 o preço da ressonância magnética pago pelo SUS para clínicas particulares parceiras que realizam o exame era de R$ 268,75, independente do local do corpo, como RM do cérebro, abdômen, coluna, crânio, tórax e outras regiões.

Destaca-se que o valor inclui a totalidade dos serviços prestados, que vão desde a recepção e preparo do paciente, realização do exame de ressonância magnética e emissão do laudo médico.

Quais as vantagens de oferecer esse serviço?

O credenciamento da clínica para realização da ressonância magnética em pacientes do SUS tem diferentes benefícios para o negócio. A seguir apresentamos as principais vantagens.

Crescimento financeiro

Apesar de a solicitação da ressonância magnética ter se tornado mais frequente, é incomum que apenas a clínica tenha uma demanda suficiente para o aproveitamento 100% do equipamento, de forma que o aumento da demanda acarretará um crescimento financeiro sem prejudicar o atendimento de qualidade aos pacientes.

Em um momento de instabilidade financeira, esse tipo de parceria garante uma fonte de renda contínua à clínica, garantindo a manutenção da área de radiologia e também do próprio funcionamento do centro médico.

 

Aumente a produtividade e reduza os custos da sua clínica/hospital

Reduza seus custos e alcance os melhores resultados!
Manter uma boa equipe médica pode se tornar mais caro e menos eficiente do que contratar uma empresa de telemedicina para envio dos laudos a distância.

Saber mais!

 

 

Médico sorrindo, com equipe médica de fundo

Redução do tempo ocioso do equipamento

Como apresentado, o investimento em um equipamento de ressonância magnética é elevado, sendo que o não aproveitamento total dele faz com que a clínica demore mais tempo para cobrir o investimento realizado.

A parceria com o SUS reduz o tempo de ociosidade do equipamento, fazendo com que “ele se pague” em menos tempo. Além disso, o maior orçamento na área radiológica pode viabilizar a renovação dos equipamentos e tecnologias usadas.

Eficiência operacional

Para estabelecer uma parceria com as secretarias de saúde, as clínicas precisam atender uma das exigências que é sobre o envio do laudo médico de acordo com as normas do Colégio Brasileiro de Radiologia.

Em alguns editais estaduais a solicitação é que o resultado do exame seja entregue em até três dias úteis. Para cumprir essa determinação dada à elevada demanda pode ser necessária uma parceria com uma empresa de telerradiologia.

Os laudos a distância são entregues em até 24 horas nas solicitações rotineiras, garantindo o cumprimento às exigências sem precisar de um amplo investimento interno e contratação de vários profissionais para atender a demanda aumentada.

A telerradiologia funciona com o pagamento por exame laudado, de forma que a clínica só terá esse custo enquanto tiver demanda de exames pelo SUS.

Dessa forma, a telerradiologia auxilia clínicas que querem estabelecer parcerias com o SUS na disponibilização de exames. O preço da ressonância magnética viabiliza um orçamento crescente que justifica o credenciamento na iniciativa.

Matérias Relacionadas

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia