Carcinoma Ductal in situ na Mamografia, Ressonância Magnética Ultrassonografia

Carcinoma Ductal in situ na Mamografia, Ultrassonografia e Ressonância Magnética na JPR 2016

Durante a JPR 2016, a Dra Bruna Thompson, radiologista chefe do setor de Radiologia Mamária da DiagRad Telerradiologia, estará palestrando sobre Carcinoma Ductal in situ na Mamografia, Ultrassonografia e Ressonância Magnética. A aula será ministrada na 6af (29/abr) às 11:45 na Sala P. Não perca!

DiagRad JPR 2016

 

Resumo da Aula sobre Carcinoma

O Carcinoma Ductal in situ (CDIS) representa 25% dos carcinomas detectados na mamografia atualmente. A sua incidência vem aumentando e este fator tem importante relação com a expansão do rastreamento e melhora dos métodos diagnósticos, como por exemplo na mamografia digital.

O exame de mamografia é o principal método de detecção, entretanto, a ultrassonografia e principalmente a ressonância magnética (RM) têm ocupado cada vez mais espaço na avaliação deste tipo de tumor.

A Ressonância Magnética apresenta sensibilidade para detecção e análise de extensão da lesão superior à mamografia. Exploraremos nesta aula os principais aspectos de apresentação do CDIS na RM e também o papel que ocupa no cenário atual deste tipo de lesão.

Abordaremos ainda o papel da ultrassonografia para auxílio de biópsias percutâneas e também na ultrassonografia “second-look”.

Será uma excelente oportunidade para atualizar os seus conhecimentos sobre o Carcinoma Ductal in situ nos diferentes métodos de imagem.

Onde e Quando?

LOCAL: 
Transamerica Expo Center (TEC)
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 Santo Amaro, São Paulo

DATA DA AULA:

Programa Científico – Mama

6af (29/Abr/2016) às 11:45 na sala P

PROGRAMA DO CURSO

Clique aqui para acessar o programa do curso sobre o Carcinoma Ductal in situ.

 

A DiagRad Telerradiologia

A contratação de radiologistas pode ter um custo muito alto dependendo da demanda do hospital ou da clínica médica. Ao optar por uma empresa de telerradiologia, é possível economizar os custos com uma economia considerável, pois o pagamento é feito mediante a cada laudo a distância elaborado.

Exames ambulatoriais ou de rotina ficam prontos em até 15 horas, enquanto exames emergenciais levam em média, até 30 minutos até que o laudo seja elaborado. A contratação de uma empresa de telemedicina também é benéfica para clínicas localizadas em cidades distantes e que não tenham fácil acesso a profissionais capacitados.

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Receba Novidades
sobre gestão hospitalar e tendências da telerradiologia

Orçamentos

Orçamentos