Veja os principais aspectos e como surgiu a Influenza A/H1N1

Como surgiu a doença H1N1

H1N1 é um dos subtipos de influenza A que causam doenças em humanos e é responsável por epidemias sazonais. A primeira pandemia do vírus ocorreu entre 2009 e 2010 e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 207 países notificaram casos no período.
À época, a patologia ficou conhecida como gripe suína, devido à ideia de que o H1N1 resultava de uma cepa de DNAs fundidos e um deles seria de uma linhagem de influenza suína. Porém, descobriu-se que o vírus da gripe A contém material genético dos vírus humanos, de aves e porcos.

Os sintomas da Influenza A

O H1N1 apresenta sintomas semelhantes aos da gripe comum, porém, de forma intensificada: tosse, febre alta e mal estar, que também podem ser acompanhados de garganta inflamada, falta de ar, dor de cabeça e no corpo, cansaço, vômitos e diarreia. A transmissão ocorre entre os indivíduos por via respiratória, inalando secreções do doente ao falar, tossir ou espirrar. No entanto, é importante ressaltar que o contágio requer contato próximo. É possível, ainda, que a contaminação seja feita pelas mãos.

Prevenção e tratamento da gripe suína

A vacina, apesar de não ser 100% eficaz, é a melhor forma de prevenção. A trivalente protege contra as gripes A (H1N1), A (H3N2) e um tipo da B, enquanto a tetravalente protege contra essas e mais um tipo da B. É necessário realizar a vacinação anualmente – mesmo quem já foi infectado pela doença anteriormente – pois sua eficácia e características são variáveis. Higienizar as mãos com frequência é uma das principais recomendações para evitar contágio por superfícies infectadas.
Para confirmar a infecção pelo vírus, são indicados exames como a cultura viral e o real time-PCR. Testes rápidos para vírus respiratórios humanos são outros meios eficazes para o diagnóstico.
Ao procurar atendimento, os médicos também podem solicitar exames como a radiografia e tomografia do tórax, que são de extrema importância para o diagnóstico. Eles verificam as manifestações de H1N1 na região torácica e são sugeridos, principalmente, em indivíduos que sofrem risco de complicações mais graves, como pneumonia.
A pessoa que contraiu H1N1 transmite o vírus em um período de 5 dias. Por esse motivo, deve evitar contato próximo com outras pessoas, utilizar máscara cirúrgica descartável para evitar a propagação e manter-se em ambientes ventilados. O tratamento é feito com antiviral receitado por médicos especialistas, associado a repouso, ingestão de líquidos, boa alimentação e redução do consumo de álcool e cigarro, que podem auxiliar em uma recuperação mais eficaz.
É importante ficar atento aos sintomas e não se desesperar, pois, muitas vezes, as pessoas com resfriado se dirigem aos prontos-socorros e, por conta de sua imunidade baixa, podem contrair a gripe pela exposição ao vírus. Um resfriado tem sintomas leves, mas a influenza A H1N1 se inicia de maneira repentina e é marcada por manifestações mais graves.

 

Fontes:

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1

20 perguntas e respostas sobre a gripe H1N1

Influenza

Diagnóstico Laboratorial de Influenza A H1N1  Livre

Diagnóstico da gripe suína

Achados radiológicos do tórax da pneumonia da gripe A H1N1

Tags:

Matérias Relacionadas

Empresa de Telerradiologia

Orçamentos

Eu gostaria de receber as novidades da DiagRad.

Sua mensagem foi enviada.
Orçamentos